Projeto de clínicas: 7 dicas para o acabamento da obra

Projeto de clínica moderna com cadeiras em cores neon.

Você já pensou na importância de um projeto para clínicas? Além dos profissionais que atendem os pacientes, também é necessário pensar na decoração. Afinal, ela é capaz de aumentar a confiança, conforto e a segurança dos pacientes.

Esse é um dos motivos que tornam necessário o equilíbrio entre a imagem que se deseja passar e dicas para manter o ambiente sóbrio e profissional. Mais do que isso, é preciso pensar no tipo de atendimento que será prestado, nas regulamentações exigidas e na praticidade para garantir o melhor atendimento ao paciente.

Ou seja, por mais que essa tarefa pareça simples, tem muito a considerar. Então, que tal conferir algumas dicas que vão ajudar no acabamento da obra do seu projeto de clínica? Confira neste post.

1. Saiba quais são as cores e as texturas ideais

Para começar, você deve pensar na psicologia das cores na arquitetura. Elas impactam a percepção das pessoas. Portanto, a depender daquelas que forem escolhidas, você passa uma sensação diferente.

Essa característica também deve estar alinhada ao tipo de serviço prestado. Por exemplo, as regras para a clínica de estética diferem das normas para as odontológicas. Por isso, é importante atentar a esses detalhes.

De modo geral, as cores suaves e neutras são as mais recomendadas. Elas transmitem tranquilidade e conforto. As tonalidades claras também ajudam na otimização dos espaços, porque passam a impressão de serem maiores e higiênicos.

Caso queira sair do branco, algumas opções são lilás, verde-água, areia e azul-turquesa. Além disso, você pode usar o fundo neutro e investir em acessórios decorativos para criar um contraponto.

Nesse contexto, as matérias-primas naturais — como argila, pedra, bambu, madeira e palha — estimulam a sensação de conforto. Elas também agregam texturas, assim como os revestimentos.

Um exemplo são as Ripas e Filetes de Poliestireno, que permitem composições criativas de painéis ripados em diferentes superfícies como paredes e móveis. Este recurso cria um estilo diferenciado à parede e permite combinar texturas na decoração do seu projeto de clínicas. Apenas tenha cuidado com o excesso, porque não fica um bom resultado para esse ambiente, que exige mais sobriedade.

2. Conheça o melhor tipo de piso

O melhor piso para a sua clínica é aquele com tons claros, mais recomendados para ambientes pequenos. Você ainda pode usar as tonalidades de cinza para ampliar o espaço.

O melhor exemplo é o porcelanato, uma alternativa moderna e prática. Outra alternativa para quem tem um orçamento mais flexível são as peças de granito e mármore.

Vale a pena observar que a norma RDC 50/2002 determina que os revestimentos de pisos, paredes e tetos devem ser resistentes a:

  • uso de desinfetantes;
  • lavagem.

Além disso, os materiais não devem ter ranhuras nem perfis estruturais aparentes. Inclusive, depois do uso e da limpeza frequentes. Por sua vez, a NBR 9050:2015 especifica que o piso deve ter superfície estável, regular, antiderrapante sob qualquer condição e firme.

Os pisos ainda podem ter uma inclinação transversal de 2% para os internos, de 3% para os externos e até 5% de inclinação longitudinal, também não pode gerar trepidação em dispositivos com rodas. Outro detalhe é evitar o uso de padronagem na superfície do piso que gere sensação de insegurança.

3. Cuide da segurança e da mobilidade

Outro detalhe fundamental no projeto das clínicas é atentar à mobilidade e à segurança. O ideal é dispor os móveis de forma a permitir que uma cadeira de rodas passe entre eles. Caso faça atendimento infantil, evite deixar objetos pontudos ou pequenos ao alcance.

Lembre-se de nunca deixar os móveis próximos para evitar acidentes. Além disso, conte com uma equipe de limpeza preparada para higienizar o local diante de qualquer problema. Especialmente, porque há várias regras a serem seguidas pela Vigilância Sanitária e dos órgãos responsáveis.

Ainda existem normas de acessibilidade. Inclusive, essas regras são importantes para a emissão de alvará de funcionamento, como determina o Decreto Federal 5.296/2004. Por exemplo, disponibilização de elevadores, rampas de acesso, corrimãos, estacionamento e banheiro adaptados.

4. Coloque atrativos para passar o tempo

Os pacientes podem ficar um bom tempo na recepção esperando atendimento, seja por atraso do profissional, seja porque chegou mais cedo ou precisa esperar o resultado de um exame. Por isso, disponibilize atrativos para passar o tempo. Por exemplo:

  • cadeiras;
  • televisão;
  • água;
  • café;
  • wi-fi;
  • revistas;
  • bolachas

Isso é uma forma de evitar que o paciente fique irritado. Portanto, considere o conforto de cadeiras e poltronas. Especialmente, opte pelas fabricadas em couro e que sejam fáceis de lavar.

Além do mais, a Vigilância Sanitária não recomenda usar tapetes. Por sua vez, indica o uso das persianas do tipo rolo.

Caso o seu projeto de clínica seja com temática infantil, coloque alguns brinquedos, mesinhas e cadeiras para as crianças brincarem, e invista em temas lúdicos e coloridos. Esses detalhes farão com que os seus pacientes se sintam bem recebidos.

5. Utilize música ambiente

Esse recurso deve ser usado nos locais de espera, como a recepção. O objetivo é transmitir tranquilidade ao paciente. Por isso, evite barulhos estridentes. De preferência, escolha música clássica. Outras boas opções são o estilo new age (como Enya e Yanni) e as canções mais calmas da MPB. Lembre-se de que isso também ajuda a trazer calma para os pacientes.

6. Tenha uma boa iluminação

Um projeto para clínica exige uma boa iluminação. Isso influencia o bem-estar do paciente e traz uma boa sensação. Afinal, quem deseja ir a um consultório médico, odontológico ou de estética que seja escuro? São coisas que não combinam.

O ideal é buscar o máximo de iluminação natural. Além de trazer uma boa claridade, ela também é um esterilizante natural. Ainda complemente com o uso de luzes diretas, especialmente as brancas.

7. Conte com materiais resistentes

Por fim, você também deve usar materiais resistentes e que possam ser limpos com facilidade. Isso vale para revestimentos, guarnições, rodapés e mais. Afinal, é importante optar por itens à prova d’água, que não mofam nem apodrecem, e ainda garanta que os materiais sejam imunes a pragas e cupins

Considerar esses detalhes nos seus projetos de clínicas, evita problemas com desgastes e a própria higienização do local. Nesse cenário, é preciso contar com um fornecedor de qualidade, como é o caso das Indústrias Santa Luzia. Com materiais fabricados em EPS (poliestireno expandido, também chamado de Isopor®) e alumínio para rodapés clínicos, os produtos trazem conforto e beleza para qualquer ambiente.

Para os projetos de clínicas, os revestimentos Santa Luzia são os ideais. Mas você também pode escolher o melhor tipo de rodapé, rodateto, rodameio, guarnição etc. Há várias opções disponíveis, basta fazer um bom planejamento e definir os itens ideais para o seu negócio.

Por isso, atente a essas 7 dicas para o seu projeto de clínicas. Elas ajudarão a cumprir as regras dos órgãos públicos e ainda favorecerão a acolhida dos pacientes. Assim, eles se sentirão satisfeitos desde o momento em que entram na recepção e terão uma boa impressão sobre o profissional. Agora que você sabe o que fazer, que tal começar a escolher os materiais? Conheça as linhas e coleções de produtos Santa Luzia, e saiba como deixar a sua clínica ainda mais bonita.

  • Santa Luzia Brasil BRA
  • United States USA
  • Santa Luzia Europa Europa
  • Blog Santa Luzia USA
  • Youtube Santa Luzia
  • Facebook Santa Luzia
  • Instagram Santa Luzia

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
pt_BRPT_BR