Marketing digital para arquitetos: um guia completo

O Marketing Digital para arquitetos é uma estratégia para atingir maior presença on-line e construir autoridade. Assim, os profissionais podem se beneficiar com novas oportunidades de negócios.

Uma vantagem, em comparação com outras atividades, é que a Arquitetura tem uma excelente sinergia com o Marketing Digital. Muitas vezes, os próprios projetos em que o arquiteto esteve envolvido geram conteúdo para publicar nas redes sociais.

Neste artigo, preparamos um guia para você começar a sua estratégia e construir uma presença e autoridade on-line. Não deixe de conferir!

Entenda como funciona o Marketing Digital para arquitetos

O marketing é uma das atividades de negócios mais importantes, seja para organizações ou empreendedores individuais, como os arquitetos. Philip Kotler afirma que, a partir dele, convertermos as necessidades mutáveis das pessoas em oportunidades lucrativas.

Precisamos criar bens que atendam às demandas e saibam comunicar a existência dessas soluções com os seus destinatários. No marketing digital para arquitetos, os meios de interação são aqueles nascidos com a internet, como:

  • sites;
  • e-mail;
  • redes sociais;
  • plataformas de vídeo.

Funil de vendas

É possível visualizar o processo que começa com a pessoa ter uma necessidade, até ela fechar negócio, como um funil.

Topo do funil

No topo do funil, estaria o início das atividades de Marketing Digital. Precisamos fazer com que as pessoas descubram nossa marca, produtos ou serviços. É a parte mais larga do funil, em que teremos contato com mais clientes em potencial.

Meio do funil

Uma parte dos potenciais clientes no topo do funil tende a considerar as vantagens e desvantagens da solução oferecida. Nesse cenário, a pessoa começa a se reconhecer com uma dor ou desejo, buscando uma solução. É o estágio chamado de meio do funil ou consideração.

Fundo do funil

O fundo é o ponto em que menos pessoas chegam. Trata-se do momento em que já se tem consciência do problema e busca-se uma solução: a questão é qual.

É quando apresentamos ao cliente os possíveis diferenciais que o levarão a decidir pela contratação conosco, em vez de um concorrente.

Personas

O Marketing Digital para arquitetos faz as pessoas caminharem por cada uma das três fases do funil de vendas. Ao final, conseguimos clientes para nossos projetos de arquitetura, como reformas, design de interiores e construções.

Um passo importante nessa jornada é construir um personagem que represente esse público-alvo. Imagine como é o seu cliente em diferentes aspectos da vida:

  • vida financeira;
  • relações familiares;
  • relações profissionais;
  • dores (insatisfações atuais);
  • medos (o que deseja evitar);
  • gostos (coisas que a satisfazem);
  • interesses (benefícios que deseja obter);
  • dados demográficos (idade, sexo, profissão, renda).

Um bom começo é observar as características de pessoas que já contratam os seus serviços ou de pessoas com soluções similares. Fique atento às tendências de comportamento do consumidor, como o consumo responsável.

Tom de voz

Outro elemento importante é definir uma maneira de falar com essa persona.

Se, por exemplo, a persona é um gerente em busca de melhorias para a empresa, a linguagem será um pouco mais formal, focada em benefícios de negócios e elementos que mostrem a melhoria do ambiente de trabalho.

É algo diferente, por exemplo, de produzir conteúdo direcionado a uma persona que deseja reformar a casa, buscando lazer e conforto para viver com os filhos.

Objetivos da estratégia de marketing digital

O marketing digital para arquitetos se propõe a fazer os clientes em potencial passarem por cada uma das fases do funil de vendas, até fechar o projeto. 

Para isso, anúncios, conteúdos e presença nas redes costumam ter certos objetivos, por exemplo:

  • impulsionar as vendas;
  • educar o consumidor sobre a solução;
  • agregar atributos positivos à marca, como agilidade, qualidade, economia e luxo;
  • construir autoridade sobre um assunto, como ser referência em home office, lojas e áreas de lazer.

Usamos principalmente o alcance orgânico, em vez do pago. O alcance orgânico acontece com a construção de uma audiência própria, geralmente com conteúdos que são interessantes à persona e resolvem problemas dela. 

Já o alcance pago seria chegar a audiência com as ferramentas de divulgação disponíveis na internet.

Escolha os canais de comunicação com o público

O marketing digital para arquitetos não tem um começo e fim determinado, mas um ciclo constante em que aprendemos e melhoramos a relação com o cliente.

Em primeiro lugar, devemos escolher em quais ambientes digitais estaremos presentes, especialmente sites e redes sociais. Você não tem a obrigação de produzir para todas as redes, valendo a pena focar naquelas que têm conexão com o seu cliente.

Facebook

O Facebook permite a combinação de fotos e vídeos com textos mais longos do que as demais redes. Além disso, seu principal diferencial é a interatividade com botões de curtida e compartilhamento dos materiais.

Instagram

O Instagram é uma escolha interessante para os arquitetos pela possibilidade de expor o portfólio e bastidores do trabalho no feed e stories. Além disso, a plataforma  agrega, constantemente, novas ferramentas e tendências.

TikTok

O TikTok é uma rede em que são produzidos vídeos de curta duração. Em geral, o público dessa rede é mais jovem, e as publicações voltadas para rápida absorção.

Pinterest

O Pinterest seria como um painel digital para realizar colagens. É a rede mais otimizada para divulgar imagens de projetos finalizados ou maquetes 3D. E, assim como LinkedIn, pode ser um bom local para construir autoridade.

YouTube

O YouTube é uma rede que traz soluções para realizar vídeos e lives. No Marketing Digital para arquitetos, é um ambiente em que se pode abordar conteúdos educativos de maior extensão ou expor o portfólio com conteúdo audiovisual.

LinkedIn

O LinkedIn é uma rede focada em networking profissional. Além de dados profissionais, é possível produzir conteúdo em textos, similar a publicação em blogs. Assim, torna-se um bom lugar para manter currículos e referências profissionais.

Websites e Blogs

Os sites e blogs também são uma alternativa. Enquanto o primeiro traz as informações sobre serviços e contatos profissionais, o segundo pode ser usado para publicação de textos, geralmente que mesclam conteúdos educativos com materiais mais voltados para vendas.

E-mail marketing

O envio de e-mails para listas de contatos é outra opção. É comum, por exemplo, usar estratégias para obter dados cadastros, como assinaturas de newsletters e download de materiais.

A seguir, continua-se a comunicação, enviando novos conteúdos para ajudar a pessoa a entender as soluções e caminhar pelas etapas do funil de vendas.

Impulsione a performance da sua estratégia

Os sistemas de anúncios otimizam a performance. Nas redes sociais, os mais utilizados são o Facebook Ads e Instagram Ads, que farão com que as publicações alcancem mais pessoas. Além dele, o Google Ads traz a opção de anúncios pagos em sites e melhoria do posicionamento na ferramenta de buscas.

É importante saber dosar essas soluções com a produção de conteúdo voltado para o alcance orgânico. Quanto melhor for a produção de conteúdo, menor será a necessidade de você pagar anúncios para se comunicar com o público.

Fique atento às estratégias de SEO

O Search Engine Optimization (SEO) é a forma como criar um conteúdo que tenha maior probabilidade de ficar bem ranqueado em mecanismos de busca. Não à toa, será utilizado em textos para blogs, sites e redes sociais.

A lista de boas práticas é extensa, mas podemos indicar algumas dicas, como pesquisar palavras-chave gratuitamente pela ferramenta do Google. Ela deve estar, preferencialmente, nas seguintes posições do texto;

  • título do conteúdo;
  • primeiro parágrafo;
  • subtítulos;
  • último parágrafo;
  • no corpo do texto, desde que contextualizada.

Além disso, o conteúdo deve ser dividido em partes, ou seja, criando diversos subtítulos. Outra dica para facilitar a leitura é evitar parágrafos acima de quatro linhas.

A maior parte dos textos do seu blog serão voltados para descoberta, ou seja, para captar novos clientes em potencial. Em seguida, cerca de 20% são conteúdos de consideração (mostrar as vantagens da solução) e decisão (de mostrar seus diferenciais).

Utilize ferramentas gratuitas para criar suas postagens

Algumas ferramentas podem ajudar bastante na hora de criar as postagens:

  • Canva — solução para fazer o design dos posts;
  • Tagfinder — gerador de hashtags para as redes sociais;
  • Buzzsumo — mecanismo que permite encontrar os assuntos em alta;
  • I Want Hue — criação da paleta de cores para deixar o uso das cores uniforme;
  • Facebook Creator Studio — ambiente para criar e agendar publicações no Instagram e Facebook;
  • Milkshake — construção de páginas com todas as suas redes sociais em um único link para bio do Instagram.

Em relação aos conteúdos, observe as características de cada canal de comunicação. Textos mais longos combinam mais com blog posts, LinkedIn e Facebook. Assim, você pode abordar conteúdos mais didáticos, como:

No Pinterest e Instagram, por sua vez, existe uma importância maior para a linguagem visual. Uma das vantagens do Marketing Digital para arquitetos é que o próprio trabalho gera conteúdos interessantes para essas plataformas, como imagens dos projetos concluídos.

Avalie os resultados obtidos

A última dica para você iniciar suas publicações é ter metas realistas e maneiras de mensurar se os resultados estão sendo obtidos. Quatro indicadores de desempenho podem ajudar quem ainda está começando. Confira a seguir!

Pessoas alcançadas pela publicação

O total de pessoas atingidas pela publicação é uma métrica para entender o tamanho da sua audiência.

Além disso, as ferramentas de inscrição e número de seguidores são boas medições se as publicações estão agradando ao público. No Facebook e Instagram, essas informações são disponibilizadas quando a conta é migrada da pessoal para  comercial.

Interações com o conteúdo

Outro indicador importante é saber se as pessoas curtem, compartilham, salvam ou realizam algum tipo  de interação. Esse engajamento é um passo a mais na relação com o potencial cliente.

Taxa de conversão

A taxa de conversão será o total de pessoas que, uma vez alcançadas, realizam uma ação desejada.

A principal delas é saber qual é o percentual de pessoas que buscam os serviços (pessoas que entram em contato ÷ total de pessoas alcançadas no período) e, posteriormente, o percentual que fecha negócio (pessoas que fecham um projeto ÷ total de pessoas entraram em contato no período).

Custo de aquisição de clientes

Fique atento a quanto está sendo gasto por cada cliente conquistado pela sua estratégia de marketing (total investido no número de clientes). Ao comparar os negócios fechados com as despesas, conseguimos ter uma noção se o investimento está valendo a pena.

Com essas dicas de Marketing Digital para arquitetos, você tem boas ferramentas para começar a sua presença digital. Avalie quais canais de comunicação são mais adequados às personas e produza conteúdos relevantes para fazê-las caminharem em todos os estágios do funil de vendas.

Que tal receber mais insights de negócios para arquitetos? Assine a newsletter da Santa Luzia e fique por dentro das tendências!

  • Santa Luzia Brasil BRA
  • United States USA
  • Santa Luzia Europa Europa
  • Blog Santa Luzia USA
  • Youtube Santa Luzia
  • Facebook Santa Luzia
  • Instagram Santa Luzia

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
pt_BRPT_BR