Arquitetura no metaverso: qual o seu papel no mundo digital?

O metaverso proporciona encontros em ambientes virtuais entre pessoas de diferentes lugares do mundo.

Muitas atividades profissionais são impactadas quando surgem novas tecnologias. E, considerando as inovações mais recentes, uma área em ascensão é a arquitetura no metaverso.

O metaverso veio para conectar os mundos físico e digital. Será uma nova maneira de interagir pela internet, em que as pessoas vivenciarão experiências em ambientes construídos por computação.

Conheça as oportunidades para os arquitetos e tire suas dúvidas a seguir!

O que é metaverso?

O metaverso é um novo modelo para as pessoas interagirem pela internet. Nele, visitamos mundos feitos por computação, em vez de acessar páginas, redes sociais e sites.

Existem tecnologias que aumentam essa imersão. Os óculos de realidade virtual, por exemplo, “enganam” o cérebro, cobrindo o campo de visão e transmitindo imagens para dar a sensação de estar em outro ambiente.

Além disso, um diferencial é a integração com o mundo físico. Será possível utilizar produtos e serviços digitais, mas também acessar soluções integradas à vida real. 

Por exemplo, uma empresa pode ter um e-commerce no metaverso, vendendo itens que serão entregues na casa do cliente. Alguns possíveis produtos que podem ser comercializados são:

  • roupas;
  • calçados;
  • alimentos;
  • acessórios;
  • objetos decorativos.

Qual é a sua importância?

A proposta do metaverso é mudar a comunicação digital. Uma das formas de fazer isso é trazer novas experiências para o mercado virtual, indo além da navegação em sites e aplicativos.

Uma imobiliária no metaverso, por exemplo, poderia ter avatares para atender as pessoas. Assim, no atendimento ao cliente, os visitantes teriam tanto acesso à informação que a internet oferece, como:

  • fotos;
  • vídeos;
  • tours 3D;
  • descrições dos imóveis.

Dessa forma, toda a parte de comunicação e comércio on-line podem ser impactadas.

Como será construído?

Não há um único metaverso, mas sim diferentes ambientes criados por organizações. Neles, você assume o controle de um personagem digital (avatar), transitando por cidades virtuais.

Perceba que, ao falarmos de escritórios, lojas e cidades virtuais, fica evidente as possibilidades de novos projetos de arquitetura. Afinal, alguém precisa desenhar esses ambientes em 3D, não é mesmo?

A tendência é que pessoas com a expertise nos diferentes segmentos de construção tenham oportunidades nos mundos digitais.

Quais são os benefícios e oportunidades da Arquitetura no metaverso?

Profissionais e empresas podem encontrar diversas oportunidades de arquitetura no metaverso. Separamos algumas tendências a seguir.

Mudanças nos modelos de negócios

Em primeiro lugar, teremos novos jeitos de fazer negócios. Entre as oportunidades de arquitetura no metaverso, podemos citar os seguintes exemplos:

  • vender projetos de residências virtuais;
  • ter um escritório próprio no metaverso como iniciativa de marketing digital;
  • participar da criação ou expansão dos mundos virtuais com projetos de arquitetura;
  • projetos para pontos de venda e escritórios de empresas que estejam aderindo ao metaverso.

Vale ressaltar que a competência de criar projetos em 3D estará cada vez mais em alta. Afinal, a tendência é que a maior parte dos mundos virtuais utilize essa tecnologia, em comparação com outras soluções.

Crescimento dos ativos digitais

Por meio das NFTs (Non-Fungible Token, em português, símbolo infungível), podemos criar ativos digitais. Eles funcionam como registros que individualizam conjuntos de informações, criando escassez para os bens.

Para ilustrar, imagine que você copie e cole uma maquete 3D. Em princípio, seria possível substituir a cópia pelo original, bem como criar quantos arquivos você quiser. Existe fungibilidade (a possibilidade de substituição) e abundância (o recurso não é escasso).

Agora, se você transformar essa maquete 3D em uma NFT, ela passa a ter um registro único. Portanto, você pode até copiar o arquivo, mas só existe um proprietário legítimo: o dono da NFT.

Se você vendeu essa maquete para uma empresa fazer uma loja no metaverso, haverá um original devidamente registrado, e qualquer cópia será “pirata”. Daí que o registro original é infungível (não substituível), assim como escasso.

Ascensão da economia digital

O cenário é de crescimento da economia digital. Há novos modelos de negócio e maneiras de criar bens econômicos, gerando benefícios, como:

  • expansão das estratégias de marketing e vendas;
  • diversas possibilidades para comunicação com cliente;
  • novas oportunidades para diferentes setores da economia.

A arquitetura no metaverso é um dos setores com maior chance de crescimento, especialmente em um contexto tão novo. Os projetos criados por esses profissionais serão ativos relevantes às empresas e pessoas que desejam participar desse novo momento da tecnologia.

Então, gostou de conhecer as novidades? Para continuar acompanhando as tendências de tecnologia e negócios para arquitetos, siga a Santa Luzia no Facebook, Instagram e Youtube!

  • Santa Luzia Brasil BRA
  • United States USA
  • Santa Luzia Europa Europa
  • Blog Santa Luzia USA
  • Youtube Santa Luzia
  • Facebook Santa Luzia
  • Instagram Santa Luzia

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
pt_BRPT_BR